quarta-feira, 9 de novembro de 2011

O Labirinto do Fauno

Fala galera, já faz um bom tempo desde o meu ultimo post, e como prometido, mesmo quando a semana está mais do que apertada eu fasso pelo menos dois post por semana, certo?

E como promeça é dívida, hora de falar mais sobre um filme, porque afinal de contas, filme a gente vê em apenas algumas poucas horas, enquanto livro/jogo/etc demora quase uma eternidade!

O grande filme da vez é um que eu já vi faz muito tempo, já vi mais de uma vez, e inclusive, tenho na minha coleção particular, porque ele é simplesmente incrível.

O plano de fundo da história é a guerra civil espanhola, cenário onde uma menina de apenas 13 anos, Ofélia, no auge daquela idade em que ainda somos jovens demais para algumas coisas, porém, velhos demais para outras, se encontra.

Ela é daquelas que adora ler livros de contos de fadas, de nobres cavaleiros que salvam princesas, mas sua mãe, a oprime sempre que pode dizendo que já está grande demais para essas brincadeiras, e que agora já está virando mulher, e precisa conhecer as verdades do mundo.




E falando em verdades do mundo, o pai de Ofélia morreu. Sua mãe se casou novamente com um capitão militar, franquista, e foi viver junto com ele num acampamento militar. Para completar o pacote, ela está grávida, e o marido está em constante busca a um grupo de rebeldes anarquistas e republicanos que possivelmente estão se escondendo naquelas redondezas do acampamento.



No meio desse caos que está a própria vida, Ofélia encontra um misterioso lugar, um labirinto enquanto estava brincando de explorar o seu novo lar. E no interior de uma passagem no interior desse labirinto, ela encontra uma misteriosa, bizarra, e ao mesmo tempo, sinistra criatura que se denomina O Fauno.

Nesse dia ela descobre que na verdade, não é uma garota normal, e sim uma princesa muito especial, princesa Moana, herdeira do reino das fadas.



Mas, para que ela prove sua legítima descendência, ela deve passar por três provas sugeridas pelo fauno, e só assim ele abriria os portões do outro mundo para que ela voltasse para sua verdadeira casa.

Sinistro, macabro, tenso, o labirinto do fauno merece todos esses adjetivos que ninguém jamais imaginaria dar a uma história de conto de fadas.

A produção é de 2006, e do diretor Guilhermo Del Toro, o mesmo que dirigiu também HellBoy. (aguardem resenha desse aqui também hen!)



Sem efeitos especiais, e sem dúvida a melhor maquiagem que eu já vi nos cinemas na minha vida, esse é um legitimo filme que não se deve deixar de ver! Ele está na minha lista de recomendação pessoa de "Filmes que se precisa ver antes de morrer" Portanto, pensem nisso!

Apesar de ser espanhol, e todo falado nessa lingua, isso não impediu que o filme se tornasse ganhador de 3 óscars, melhor fotografia, melhor maquiagem, e melhor direção de arte.

Normalmente, eu não gosto dos filmes ganhadores de óscar e coisas do gênero, mas...esse é um daqueles raros casos que foi muito merecido, ou melhor, foi muito bem reconhecido!



Além disso, não posso deixar de lembrar que a trilha sonora é daquelas deslumbrante! Que inclusive, possui, na minha opinião, a característica mais importante em termos de trilha! Ela é marcante! Daquelas que você não esquece, e ainda por cima, só de escutar já remete automaticamente ao filme.

Os atores não são dos mais famosos, afinal de contas, é um filme espanhol, mas são muito bons, e com força, foi 100% convencida de seus personagens, me entreguei completamente a história, ao ponto de querer quase chorar em algumas cenas, e olha que sou do tipo durona hen.

E já que eu falei de atores, o Fauno, é de uma interpretação genial, diga de ser comparada a mestres como Johnny Depp na pele de Jack Sparrow. Pena que não da pra saber quem é o cara por trás de toda aquela maquiagem e roupa, mas ele já fez outros filmes, HellBoy inclusive, também escondido em uma fantasia.

Resumindo, se você é daqueles que ainda não assistiu a esse filme, está esperando oque?

E é claro, como nerd jogadora de RPG que sou, não posso deixar de comentar que, esse filme é a referência obvia ao meu jogo favorito de RPG de todos tempos, Changeling, O sonhar. Mas, infelizmente não poderei matar a curiosidades de vocês desse jogo no momento, esperem um post só sobre ele, eu prometo que farei, e não demorará muito tempo não.

Confiram o trailer, só para sentir um gostinho daqueles que quero mais!



[...]

Bom galera, é isso por hoje, minha semana anda heavy metal, se é que me entendem, trabalhando demais, estudando demais, é a vida.

Me desculpem de verdade se eu demorar postar demais, prometo que nas férias será bem diferente.

Até mais.




9 comentários:

  1. Também adoro.

    Um dos melhores de todos os tempos na minha opinião.

    Guilhermo Del Toro deveria dirigir mais filmes de fantasia, ele é o ultimo remanescente do estilo old school de criar personagens. Usar maquiagem e figurino caprichado em detrimento a computação gráfica.

    ResponderExcluir
  2. Bom, para fazer um contra-peso: achei o filme com um único propósito, do início ao fim -> fazer você chorar como um bebê. Bom, como meu espírito é grosso como um carvalho e possuo uma sensibilidade de um troglodita, só posso dizer que o filme foi, para mim, chato pra caramba.

    Gente morrendo, solidão, desespero, terror psicológico e nenhum banho de sangue? Nenhum embate brutal até as últimas consequências? Saldo de mortos inferior aos três dígitos? Foi mal, mas esse não é pra mim.

    Quanto ao del Toro, coloco no mesmo hall (quem mais?!) Peter Jackson. Robert Rodrigues, embora com um estilo mais trash, está pelas redondezas, também.

    ResponderExcluir
  3. "Bom, para fazer um contra-peso: achei o filme com um único propósito, do início ao fim -> fazer você chorar como um bebê."

    Ai eu chorei T.T

    Tenho que admitir.

    Mas olhando por esse angulo, é verdade. O mesmo acontece em "O Fabuloso destino de Amelie Polain" eu adorei esse filme, mas... porque fui conquistada pelo carisma da protagonista. Qualquer um que não for com a cara dela, achará esse filme uma verdadeira merda. Faz parte...

    Mas vc não é o único a não gostar de OLdF, minha amiga tb não gostou, justamente pq ela chorou, e ela detesta ver filmes assim. ;)

    ResponderExcluir
  4. Epa, eu não chorei, não, ouviu?!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acredito, minha irmã também não hahahahahaha.

      Esse povo frio viu! Brincadeira.

      off: eba chego o feriado, agora eu to livre!

      Excluir
    2. Boa cachaça! Ah, em Recife, nada é frio, nem um coração frio, que é, no máximo, morno.

      Excluir
  5. Nossa você escreve muito mal, parabéns.

    ResponderExcluir

Curta o Terra das Fábulas no Facebook