quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

O Feiticeiro e a Serpente Branca

Nesta última segunda feira as aulas começaram novamente nas universidades federais mas, eu ainda estava em clima de férias, ainda assimilando oque era pra fazer ou não.

Foi ai que um dos meus amigos me chamou pra ir na casa dele assistir a um filme que ele achou dando bobeira no HD externo dele, essa galera que do nada aparece com coisas que a gente nem sabia que existia.

Pra minha sorte, ou não, era um filme de fantasia, então nada melhor do que aproveitar pra fazer mais uma resenha.

O filme é de 2011 e conta com a atuação de Jet Li.

A história do filme se baseia numa lenda chinesa, onde um jovem estudante se apaixona por uma bela e desconhecida mulher, que na verdade é uma Serpente Branca, então um sábio monge chamado Fahai, aparece para salvar o pobre garoto.

No filme, não se trata de um estudante, e sim de um colhedor de ervas, uma espécie de aprendiz de farmacêutico ou médico. Durante um acidente onde a irmã da Serpente Branca tenta mata-lo, ela se vê na obrigação de ajuda-lo mas acaba se apaixonando por ele, então lhe lança um encanto para que ele também se apaixone de volta.



Enquanto isso, o monge Fahai e seu aprendiz caçam demônios onde quer que eles estejam para manter a vida das pessoas em paz, até que ambos acabam se deparando com as duas Serpentes e se veem na obrigação de caça-las.

O filme é basicamente um daqueles típicos do cinema chinês onde todo mundo luta kung fu, quem luta ignora as leis da gravidade, e ainda possui um toque exagerado de magic pra todos os lados. De fato eu devo admitir que a estética do filme é linda. A combinação de cores, o figurino, a fotografia, o filme é de se encher os olhos. Mas de tempos em tempos eu me incomodava com alguns contrastes. A trilha sonora hora era composta por músicas típicas orientais, hora era cheia daquelas influencias ocidentais com trombetas e violinos pra tudo quanto é lado.



Efeitos especiais são bem feitos sim mas, não muito realistas, lembrando que esse não deve ter sido um filme com o maior e melhor orçamento do momento, então eu até que do um desconto.

De maneira geral, achei o filme chatinho, a história é meio enrolada, parece demorar a se desenvolver, parece que eles acrescentaram várias partes para que a lenda virasse um filme inteiro e não apenas um curta metragem de alguns minutos.

E como sempre, já era de se esperar, eu não entendi a moral, eu nunca entendo oque esses filmes querem dizer no final.

Mas, se oque você que está lendo esta resenha está procurando é um filme de fantasia oriental, você achou! Ou se você estiver na verdade procurando por um filme de fantasia com lutas de kung fu exageradas, achou também!

Vejam o trailer:

[...]

Uma coisa que eu estava pensando essa semana. Oque será que o pessoal prefere encontrar por aqui no blog, jogos mais modernos, ou jogos bem antigos? Portanto, já sei qual será a próxima enquete que eu farei por aqui.

De qualquer forma, jogos antigos são mais fáceis de se conseguir, e até mesmo de realizar os posts. Não vou mentir, não preciso ter os consoles originais, tudo se resolve com um emulador e um rápido download, e ainda por cima tenho a opção do print screen para salvar eu mesma as minhas imagens, oque torna a postagem muito mais rica em termos de conteúdo.

Mas, os jogos modernos são oque faz a galera pegar fogo! E fazer o download desses jogos é muito trabalhoso, pior do que isso é eu conseguir instala-los, não dou muito certo com essa história de "crackear", tenho preguiça acabo preferindo comprar.

E comprar tudo pro meu computador? Pocha, muito mais simples seria se eu tivesse um video game da última geração. Ta ai uma coisa que faz tempo que eu não tenho, um console da geração atual, fazem uns 10 anos que não acompanho mais essas coisas.

Acho que hoje eu fico por aqui galera, até mais!

16 comentários:

  1. Toda vez que vejo um filme asiático em sessão vou no Youtube e procuro pelo trailler. Aí é que tá...eu sempre acho os traillers asiáticos engraçados de tão ridículos.

    Entretanto, assisto do mesmo jeito e me impressiono com o enredo dramático que os japoneses conseguem dar até para as histórias mais monstruosas!

    Por isso, me mantenho ansioso para assistir O Feiticeiro e a Serpente Branca, embora o trailler não me tenha chamado a atenção.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é...eu não curti o filme não. Sei lá, filmes asiáticos tem alguma coisa que me incomoda, não sei explicar o.õ

      E tem umas misturebas sinistras, uma hora o demônio é ocidental, de pele escura, asas de morcego, rabo pontudo, e outra hora é oriental.

      A trilha sonora a mesma coisa, uma hora super estilosa, e outra hora aquela coisa clichê de filme épico.

      Excluir
  2. Olha eu achei o filme muito bom, só que o titulo é bem estranho, pois se trata de um MONGE BUDISTA e não de um FEITICEIRO! E o mais curioso são os outros títulos que o filme recebeu: IT IS LOVE e O MESTRE CHINÊS.Creio que no titulo deveria prevalecer o par romântico, no caso deveria ser "O CURANDEIRO E A SERPENTE BRANCA". Se alguém souber do titulo original deixe registrado aqui.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa... pocha vida Rodolfo obrigada pela sugestão, se eu achar o título original em tradução livre posto aqui sim. (Mesmo porque postar aquelas runas não ajudaria muito né? hahaha)

      Excluir
    2. Rodolfo, o título original do filme é O feiticeiro e a serpente branca( The sorcerer and white snake) e feiticeiro seria o curandeiro e ñ o mestre. E quanto ao nome "Lenda do mestre chinês" acho que é só pq o Jet Li ta na capa kkk
      Espero ter ajudado.
      Ass Daniele

      Excluir
  3. O filme é perfeito até uma parte mas o idiota do criador desse filme não soube dar um bom fim pro filme, ele fez uma completa merda com o fim desse filme, e affff era pra demonia ter matado aquela praga daquele monge
    Ass:Gabriel Retrão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Praga mesmo filme muito bom acho que devia ter um segundo filme onde o curandeiro possa ficar com a linda serpente que é seu amor verdadeiro e também acho que a irmã da serpente branca devia ficar com o rapaz lá que virou um morcego... Um segundo filme abordando essa temática ficaria perfeito...

      Excluir
    2. Praga mesmo filme muito bom acho que devia ter um segundo filme onde o curandeiro possa ficar com a linda serpente que é seu amor verdadeiro e também acho que a irmã da serpente branca devia ficar com o rapaz lá que virou um morcego... Um segundo filme abordando essa temática ficaria perfeito...

      Excluir
    3. Praga mesmo filme muito bom acho que devia ter um segundo filme onde o curandeiro possa ficar com a linda serpente que é seu amor verdadeiro e também acho que a irmã da serpente branca devia ficar com o rapaz lá que virou um morcego... Um segundo filme abordando essa temática ficaria perfeito...

      Excluir
  4. Cara a irmã dela quase foi morta e ela não foi nem ver ..final lixo q pelo menos ele tivesse ficado preso com ela ou os dois tivessem ido pro mundo das cobras ...
    Só pq é releitura de uma lenda não impede de fazer um final legal

    ResponderExcluir
  5. Gostei do filme.. apenas do final ser um pouco triste me fez pensar que nem sempre podemos ter aquilo que desejamos.Além do mais devemos estar ciente que todas as nossa escolhas geram uma consequência e que devemos aceita-la.

    ResponderExcluir
  6. Alguém sabe se tem um livro sobre essa lenda/fábula chinesa? Se tiver eu quero amei o filme

    ResponderExcluir
  7. O filme conta uma estória do mundo espiritual em contato com o mundo material, e quando isso acontece as formas são peculiares mesmo, "fantásticas”, “meio gente meio cobra”, ratos e etc…

    As lutas que no filme são mostradas na verdade se passam no interior de cada personagem e são ilustradas com flutuação, magias e etc.. (são todos símbolos)

    O Poder do monge é o poder do Buda, o monge em si nao tem poder nenhum, e o poder do Buda é o poder maior, o poder do AMOR. Por isso o monge aparenta ser mais calmo e mais forte.

    Com este "poder”, por ser de amor, ele não mata ou destrói, mas sim prende os "demônios" para que eles reflitam sobre seus atos errados e egoístas a fim de que um dia se arrependam e se abram à luz e ao amor.

    A escuridão é carente de amor, por isso é escuridão e não luz. Nessa carência ela enfeitiça o amado, mas ela está atras do amor e da pureza que ele tem.

    Por enquanto a serpente branca ama apenas ao seu amado, mais ainda é um amor egoísta, que mata, se preciso for, para ficar com ele, mas já é algum amor. Ela fica presa no fim para refletir sobre o seu egoísmo neste amor e assim purificá-lo!

    Em resumo, a meu ver, tudo se resume à Misericórdia, Redenção e Purificação.

    ResponderExcluir
  8. concordo com o Santiago, o filme é simbólico, tem q ver daqui a um tempo, com mais amadurecimento, é bem interessante .Tem mito de mulher serpente em várias culturas.

    ResponderExcluir

Curta o Terra das Fábulas no Facebook